O jardim do Museu

Uma obra botânica

O MCM tem um eixo temático centrado na interação entre as plantas e a cultura humana e o passo dado pelo Uruguai na busca de uma alternativa integradora frente ao conceito obsoleto de “guerra as drogas”. Um dos objetivos será informar sobre a história e os muitos usos do cannabis, mas enmarcado numa lógica mais ampla. São muitas as plantas de importância cultural que tem sido proibidas e posteriormente reabilitadas.

Esse tem sido o caso da erva mate, a planta culturalmente mais importante do Uruguai e principal herencia da cultura originária. Apesar do consumo muito popular no Uruguai, Argentina, Paraguai e sul do Brasil, a árvore original não é muito conhecida, e por esse motivo ela tem uma presença protagónica no nosso jardim. Será oferecida aos visitantes a possibilidade de provar a infusão e também conhecer a sua história e etno-botânica.

São muitas as plantas de grande importância cultural e social e que não costumamos ver vivas e na terra. No museu é possível ver plantas de tabaco, café, pitanga, mburucuyá, peyote, o São Pedro e muitas mais.

O local possui uma colecão de cactus, família botánica originada na América, com várias especies nativas do Uruguai, que nos lembra da importância da conservação e do cuidado de recursos vitais como a água.

O MCM através do seu jardim vem a demonstrar que no coração mesmo das áreas urbanas pode chegar a florescer a biodiversidade, com flores, borboletas e aves.